Redes brasileiras entram em lista de marcas de luxo global mais vendidas

Julio WiziackBrasília - DF O grupo de moda Soma e a joalheria Vivara foram as únicas empresas brasileiras a integrar o ranking da consultoria Deloitte com as cem maiores empresas de artigos de luxo do mundo. Dona de marcas como Animale, Farm, Maria Filó e NV, o Soma estreia na lista "Os Poderosos do Varejo de Luxo 2022" na 78ª posição entre as companhias que mais geraram receita no ano fiscal de 2021. No recorte por vendas de artigos de luxo, o Soma registrou US$ 385 milhões e obteve receita total de US$ 517 milhões. A companhia é apontada como a quarta empresa com maior crescimento no mundo em itens luxuosos, com expansão de 67% no ano passado. A Vivara já estava na lista de 2021 e subiu duas posições, ocupando a 95ª posição. No ano passado, a joalheria alcançou receita de US$ 272 milhões. No recorte por crescimento entre as empresas que mais vendem peças de luxo, a companhia ficou na 15ª posição, com 40% de alta. A Deloitte criou uma nota de corte para incluir as empresas. É necessário que elas tenham alcançado receita mínima de US$ 240 milhões. Em primeiro ficou a LVMH, controladora da Louis Vuitton, Christian Dior, Tiffany, Sephora entre outras. Em seguida estão a Kering (dona da Gucci, Balenciaga, Saint Laurent, entre outras), The Estée Lauder Companies, Chanel e L'Oreal. O post Redes brasileiras entram em lista de marcas de luxo global mais vendidas apareceu primeiro em Jornal de Brasília.

Dez 2, 2022 - 21:00
 0  3
Redes brasileiras entram em lista de marcas de luxo global mais vendidas

Julio Wiziack
Brasília - DF

O grupo de moda Soma e a joalheria Vivara foram as únicas empresas brasileiras a integrar o ranking da consultoria Deloitte com as cem maiores empresas de artigos de luxo do mundo.

Dona de marcas como Animale, Farm, Maria Filó e NV, o Soma estreia na lista "Os Poderosos do Varejo de Luxo 2022" na 78ª posição entre as companhias que mais geraram receita no ano fiscal de 2021.

No recorte por vendas de artigos de luxo, o Soma registrou US$ 385 milhões e obteve receita total de US$ 517 milhões. A companhia é apontada como a quarta empresa com maior crescimento no mundo em itens luxuosos, com expansão de 67% no ano passado.

A Vivara já estava na lista de 2021 e subiu duas posições, ocupando a 95ª posição. No ano passado, a joalheria alcançou receita de US$ 272 milhões. No recorte por crescimento entre as empresas que mais vendem peças de luxo, a companhia ficou na 15ª posição, com 40% de alta.

A Deloitte criou uma nota de corte para incluir as empresas. É necessário que elas tenham alcançado receita mínima de US$ 240 milhões.

Em primeiro ficou a LVMH, controladora da Louis Vuitton, Christian Dior, Tiffany, Sephora entre outras. Em seguida estão a Kering (dona da Gucci, Balenciaga, Saint Laurent, entre outras), The Estée Lauder Companies, Chanel e L'Oreal.

O post Redes brasileiras entram em lista de marcas de luxo global mais vendidas apareceu primeiro em Jornal de Brasília.

MoneyGuru Dinheiro.co - Informações sobre Economia, Dinheiro, Investimentos, Mundo e Tecnologia.